terça-feira, 22 de agosto de 2017

Próxima reunião do GPLV será dia 02 de setembro


Ficam convocados os integrantes do Grupo de Pesquisa Literatura e Vida, GPLV, e convidados os demais interessados, para reunião do GPLV no dia 02 de setembro, sábado, no Câmpus 1 da UFMS de Três Lagoas, das 8:30h às 11:30h, para discutirem e deliberarem sobre a seguinte pauta: 

1. Informes;

2. Simpósio A escrita feminina, a ser realizado no Câmpus do Pantanal da UFMS, Corumbá, nos dias 05, 06 e 07 de outubro de 2017;

3. 9º Seminário do GPLV, a ser realizado no Câmpus 1 da UFMS de Três Lagoas, nos dias 25, 26 e 27 de outubro de 2017;

4. Debate de textos literários (cada um deve levar sua proposta);  

5. Eventos e publicações.


Três Lagoas, 22 de agosto de 2017.
Rauer Ribeiro Rodrigues/Líder do GPLV
Eunice Prudenciano de Souza/Co-Líder do GPLV


sábado, 12 de agosto de 2017

Escrita Feminina terá evento no CPAN / UFMS

UFMS realiza Simpósio sobre Escrita Feminina
Curso de Letras do CPAN e CRE-3 fazem parceria para a atividade

Alciene Ribeiro, uma das autoras no foco do evento.           .
    .
 Organizado pelo Grupo de Pesquisa Literatura e Vida, GPLV, e pela Coordenadoria Regional de Educação de Corumbá, CRE-3, com o objetivo de traçar uma visão de como a voz feminina é representada em poemas, romances, contos, novelas e crônicas de autoria feminina, o Curso de Letras do Câmpus do Pantanal da UFMS realiza, nos dias 5, 6 e 7 de outubro, o Simpósio A Escrita Feminina, que se constitui como Seminário Intermediário do GPLV. O evento contempla discussões sobre autoras brasileiras e de outras nacionalidades, contemporâneas ou não, que abordem os seguintes eixos temáticos: as relações entre gênero, alteridade e poder; a literatura infantil ou a literatura juvenil e relações de gênero; as representações do feminino em narrativas curtas; a enunciação feminina e a identidade feminina; a  violência e o corpo feminino; a  BNCC e a escrita feminina; a literatura de autoria feminina e a representação do feminino em narrativas curtas; a enunciação feminina; as representações do feminino na literatura latino-americana de autoria feminina.
A Carga Horária Total da Ação é de 24 horas: serão seis turnos de atividades na quinta-feira (5/10), tarde e noite; na sexta (6/10) com atividades pela manhã, à tarde e à noite; e no sábado (7/10) com um único turno, pela manhã; cada um desses turnos desenvolverá quatro horas de atividades.
Os coordenadores deste Seminário de Pesquisa do GPLV: Simpósio A Escrita Feminina são os professores Rauer Ribeiro Rodrigues, docente da UFMS e Líder do GPLV, Pedro Rodrigues de Miranda, da CRE-3, e Luciene Lemos de Campos, também da CRE-3. As equipes de apoio serão formadas por alunos das duas habilitações em Letras do CPAN, por membros do GPLV e por membros da CRE-3.
O evento oferecerá palestras sobre o tema por especialistas convidados, sessões de comunicação para estudos em andamento por graduandos, pós-graduandos, egressos e acadêmicos, e oficinas de estratégias em sala de aula sobre os eixos temáticos propostos.
O Simpósio está aberto para a participação dos professores das redes de ensino de Corumbá e Ladário, para egressos dos cursos de Letras e de outras habilitações, para pós-graduandos e acadêmicos em geral.
Imersos na clave da escrita feminina, pretende-se discutir literatura, educação, feminismo, gênero, teoria literária, história, empoderamento etc. Considera-se que, embora o termo “escrita feminina” seja passível de questionamentos teóricos, o estudo da literatura escrita por mulheres, assim como outros recortes possíveis, possibilita a análise e interpretação de grupos que normalmente não compõem o cânone literário, ampliando o registro das possibilidades linguísticas e de representação literária em confronto com o cânone tradicional, de modo a enriquecê-lo, ampliá-lo ou eventualmente o reconfigurá-lo, pelo contraste, por contiguidade ou por nuances observadas.
Além do aspecto historiográfico, intrínseco ao campo literário ou de âmbito geral, o estudo da literatura escrita por mulheres implica em ampliar as vozes sociais que dialogam na polis hoje interconectada. Similares a essa, muitas têm sido e não é de hoje as iniciativas nas grandes universidades brasileiras ou nos centros universitários dos países europeus ou da América do Norte. Em nossa região, tais estudos não têm tradição, embora já tenham ocorrido encontros esporádicos. Esses encontros, todavia, pouco se voltaram para a área da literatura, circunscrevendo-se à história e à educação. Tal carência, tal falta e tal lacuna, por si sós, justificariam a iniciativa. E ela vem ancorada por fatos recentes, no âmbito acadêmico do CPAN e de outros campi da UFMS, que a embasam e lhe dão princípio de solidez e de continuidade: temos já diversos TCCs das habilitações em Letras do CPAN com estudos sobre obras de autoria feminina; temos no Câmpus de Três Lagoas, no âmbito do GPLV, estudos de mestrado e de doutorado sobre escritoras brasileiras; e o GPLV criou seu Laboratório de Acervos Literários, tendo como primeiro material o acervo da escritora mineira Alciene Ribeiro (veja em < http://gpalcieneribeiro.blogspot.com.br/ >).
Acrescente-se que, também na graduação do CPAN, tem havido incremento na leitura de produções femininas. De tal modo que o evento se mostra necessário por não ter precursores e por se inserir em um esforço que ora se desenvolve na pós-graduação e na graduação na UFMS. Por fim, o evento constitui sequência dos seminários organizados pelo GPLV, estando vinculado à dinâmica de estudos e de eventos do Grupo. A equipe organizadora conta, além dos professores Rauer e Luciene, com a Profa. Eunice Prudenciano de Souza (GPLV); a Mestranda Érica Oliveira Gonçalves (Profletras UEMS CG); a Mestranda Nathalia Soares Fontes (Educação CPAN / UFMS); a Mestranda Natália Tano Portela (Letras CPTL/UFMS); e o Prof. Drndo Pedro Rodrigues Miranda (CRE-3 / SED-MS). Participam ainda da equipe organizadora outros integrantes do GPLV, tais como a mestre Juliana Claudia Teixeira Borges Gomes Amorim e os doutorandos Maisa Barbosa da Silva Cordeiro, Ronaldo Vinagre Franjotti e Marcos Rogério Heck Dorneles, além de professores formadores da CRE-3.
Falando sobre as motivações pessoais para propor o evento, a Profa Luciene comentou: "Muitas pesquisas realizadas no âmbito da Crítica Feminista, desde os anos 1980 no Brasil, apontam para a reescritura de trajetórias, imagens e desejos femininos. A noção de representação, nesse sentido, se afasta de sua concepção hegemônica, para significar o ato de conferir representatividade à diversidade de percepções sociais, mais especificamente, de identidades femininas antipatriarcais. Esperamos que as palestras, as comunicações e as demais atividades evidenciem isso".
Eis o calendário das atividades:
                
Dia:
Atividade:
Local:
CPAN, Unidade 1
29/8/2017 a
4/9/2017
Inscrições. Também poderão ser feitas pela internet, em: <http://seminariogplv.blogspot.com.br/ >.
Das 9h às 12h e das 18h às 20h.
Sala H-217
ou
Sala H-219
5/10/2017
15h-18h
Exposição e avaliação de painéis.
Saguão do Térreo do Bloco H
5/10/2017
19h
Abertura do evento:
Palestras com professores convidados.
Anfiteatro Salomão Baruki
6/10/2017
7h-11h10
Minicursos e Oficinas.
Salas do Bloco H
6/10/2017
13h- 17h10
Sessões de Comunicações individuais.
Salas do Bloco H
6/10/2017
18h30-22h40
Mesas-redondas com professores convidados.
Anfiteatro Salomão Baruki
7/10/2017
8h30-12h40
Apresentação e debate de projetos programados.
Salas da Unidade 2 do CPAN


Para mais informações, contactar:

Prof. Rauer Ribeiro Rodrigues – rauer.rauer@gmail.com.

Doutor em Estudos Literários pela UNESP de Araraquara, com pós-doutorado em Literatura Comparada na UERJ; Professor de Literatura Brasileira na UFMS, no Câmpus do Pantanal, em Corumbá, no PROFLETRAS do CPTL/UFMS  e no PPG-Letras Mestrado e Doutorado da UFMS de Três Lagoas; líder do GPLV - Grupo de Pesquisa Literatura e Vida; tem sete livros de ficção publicados.

                       GPLV:        < dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5157682035403302 >

---

sábado, 22 de abril de 2017

Fotos e notícia do evento de Ituiutaba

    Realizados de 18 a 20 de abril em Ituiutaba, MG, os eventos foram vibrantes e muito produtivos.

        Confira fotos e detalhes aquiaqui aqui.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Publicados os Anais do 7º Seminário

       Estão no ar os Anais do 7º Seminário do GPLV, que - planejado para novembro do ano passado - foi realizado em dezembro de 2016 e janeiro de 2017, conforme relata a "Apresentação" do volume, reproduzida abaixo, logo após capa da publicação.

          No volume, constam o resumo de 25 comunicações, um minicurso e duas palestras. Constam, também, o texto completo da palestra "Lendo contos de Luiz Vilela em sala de aula", proferida pelo Prof. Rauer, com texto dele e da Me. Karina Torres Machado, e - em forma de artigo - o texto completo de treze comunicações. O volume traz, ainda, a programação do evento, incluindo a lista dos projetos que foram debatidos, que replicamos:
Karina de Fátima Gomes, projeto de doutorado sanduíche: A concepção de infância em contos de Alciene Ribeiro.

Katria Gabrieli Fagundes Galassi, pré-projeto de doutorado: A Fortuna Crítica de Judith Grossmann.

Letícia Alvarez Mendes, pré-projeto de mestrado: Augusto César Proença: Acervo e Fortuna Crítica.

Marcos Rogério Heck Dorneles, projeto de doutorado: Ruínas e modos de narrar em A cabeça, de Vilela, e em Sete contos de fúria, de Vieira.

Maria do Socorro Pereira Soares Rodrigues do Carmo, projeto de mestrado: Alciene Ribeiro: uma vida registrada em Acervo.

Mateus Antenor Gomes, pré-projeto de mestrado: Acovardamento e silenciamento em Os novos, de Luiz Vilela: uma análise da construção narrativa.

Natália Tano Portela, projeto de mestrado: Submissão e servidão: cerceamento do feminino em Alciene Ribeiro.

Nathália Soares Fontes, pré-projeto de mestrado: A consciência do feminino nos contos de Alciene Ribeiro.

Ronaldo Vinagre Franjotti, pré-projeto de doutorado: O inferno é aqui mesmo - estudo sobre a presença do niilismo em contos brasileiros da segunda metade do século XX.

Sueli Aparecida Racanelli da Silva, pré-projeto de doutorado: Fortuna crítica de Hélio Serejo: trajetória de um memorialista.
     A relação mostra a diversidade de projetos que estão sendo gestados, no momento, por estudiosos ligados ao GPLV.

          Para ver a íntegra dos Anais, e baixá-los, clique aqui.


Apresentação

Rauer Ribeiro Rodrigues

A APRESENTAÇÃO destes Anais fugirá ao tom normal das peças similares, cuja estrutura e intenção prestam-se normalmente a enumerar e realçar o conteúdo dos volumes que prefaciam, destacando temas e abordagens texto a texto. Quanto a esse aspecto, registremos que se trata de uma boa amostra do conteúdo do evento, ainda que ele tenha sido realizado em duas etapas e com atraso, devido à ocupação da Universidade pelos acadêmicos, que protestavam contra medidas políticas ou educacionais então especuladas pelo governo federal.
Temos 25 resumos, 13 artigos, uma palestra (das três palestras do evento, uma está aqui reproduzida, trazemos de outra o link para leitura na Guavira Letras, na qual foi publicada na edição de dezembro de 2016, e a outra está prometida pelo autor para publicação em breve). Registramos também a programação completa do evento.
Nosso objetivo central neste momento é trazer a informação do que foi definido no 1º Congresso do GPLV, um dos eventos do 7º Seminário do GPLV e 2º Seminário de Linguística. Apresentado por um integrante do Grupo em uma das primeiras reuniões de 2016, após consulta prévia a mim, como fundador e líder do Grupo, tendo na sequência enfrentado várias etapas de discussão e de consultas, o Congresso aprovou proposta de alterar a nomenclatura do Grupo sem alterar seu acrônimo. A nova nomenclatura visa definir com maior clareza o trabalho realizado pelo GPLV no momento, assim como a refletir novas pesquisas que os integrantes do Grupo pretendem iniciar em futuro próximo.
Desse modo, o GPLV  Grupo de Pesquisa Luiz Vilela  tornou-se GPLV  Grupo de Pesquisa Literatura e Vida.
Fundado em maio de 2011 na cidade de Ituiutaba por mim e orientandos dos mestrados em Letras da UFMS de Três Lagoas e Estudos de Linguagens, da UFMS de Campo Grande, todos nós naquele momento desenvolvendo pesquisas sobre a obra de Luiz Vilela, aquele pesquisadores-fundadores, hoje, ampliaram o rol de pesquisas, e novos pesquisadores introduziram variáveis que o Grupo incorporou, de modo que a alteração se impunha para que mantivesse coerência com o trabalho realizado; registre-se, que o GPLV, o novo, mantém constantes algumas variáveis do antigo GPLV: deve realizar verticalizada análise narratológica, com referencial que se mostrar mais adequado, a análise deve ser realizada tendo por fundamento a montagem de acervos literários e deve ter por um dos métodos intermediários a elaboração de fortunas críticas.
Por outro lado, o projeto de pesquisa do qual nasceu o Grupo de Pesquisa, e que permitiu os sucessivos eventos nomeados “Seminários do GPLV”, além de outras atividades, cobria de 2011 a 2016, concluindo-se com um estudo sobre a metacrítica da recepção acadêmica à obra de Luiz Vilela  ora, embora haja no momento, sobre Luiz Vilela, uma pesquisa de mestrado e cinco de doutorado em desenvolvimento no âmbito do Grupo, há uma pesquisa de pós-doutoramento sendo desenvolvida exatamente sobre a metacrítica na recepção crítica à obra de Luiz Vilela: nossa co-líder, Profa. Eunice Prudenciano de Souza, está na etapa final desse projeto.
O próprio registro de que há pesquisas em andamento, realçando as de doutorado, que serão concluídas após o fechamento da pesquisa da Profa. Eunice, mostra que o estudo da obra de Luiz Vilela, assim como a expectativa de virmos a trabalhar com o seu acervo (registre-se, en passant, que Vilela é arquivista compulsivo, guardando tudo que produziu, recebeu ou enviou ao longo dos, hoje, mais de sessenta anos de atividade literária), permanecem nucleares nas nossas pesquisas.
No entanto, com um novo projeto de pesquisa, mais amplo, pudemos incorporar a nossos estudos pesquisas de conclusão de curso do Câmpus do Pantanal, da UFMS de Corumbá, sobre a escritora mineira Alciene (Maria) Ribeiro (Leite) (de Oliveira), hoje já com seis TCCs prontos e outros em perspectiva, assim como  também sobre Alciene  dois mestrados e um doutorado em Três Lagoas. Importa informar aqui que a escritora doou todo o seu acervo para o Prof. Rauer, e tal acervo tem sido organizado e trabalhado no Laboratório de Acervos Literários do Grupo de Pesquisa Literatura e Vida nas dependências do Programa de Pós-Graduação em Letras Mestrado e Doutorado da UFMS de Três Lagoas.
Sem a ampliação da nomenclatura do Grupo, não poderíamos nele ter pesquisas na área da escolarização da literatura, que já eram realizadas por seus integrantes, tanto na pós-graduação acadêmica quanto no Profletras da UFMS de Três Lagoas, e que têm se mostrado fundamentais na discussão inclusive da literatura do Luiz Vilela, com realce para o estudo dos livros do escritor editorialmente direcionados para as escolas e para leitores jovens.
Diga-se, por oportuno, que pesquisas sobre a obra de Manoel de Barros e de outros autores estão projetadas, sempre com a preocupação de montar acervos dos autores e de produzir fortunas críticas atualizadas, criteriosas e acessíveis.
Para tanto, criamos três subgrupos: gpluizvilela, gpalcieneribeiro e gpmanoeldebarros; cada subgrupo tem um blog, e eles podem ser acessados diretamente ou a partir do portal < gpliteraturaevida.blogspot.com.br >; neles, há notícias, acervo, fortuna crítica, serviços em geral. Fica nosso convite para que acesse cada um deles.
Ressalte-se, ainda, que o GPLV nasceu com cinco ou seis mestrandas e um líder, e hoje conta com um rol que inclui outros professores-pesquisadores, vários PIBICs, vários TCCs, vários mestres, vários mestrandos, vários doutorandos, diversos intercâmbios com professores de outras universidades, centenas de artigos, centenas de participações em eventos, seu líder fez estágio pós-doutoral na UERJ e o Grupo está próximo de formar um pós-doutorando, o primeiro na área de Letras na UFMS. Uma visão da variedade e número pode ser constatada pela programação do evento, logo nas primeiras páginas destes Anais.
Por favor, releve, leitor, a indeterminação dos sucessivos “vários” no parágrafo anterior: é que, de fato, a nós importa menos o número, e mais, muito mais, o amor que todos nós, do GPLV  Grupo de Pesquisa Literatura e Vida , dedicamos à nossa causa, a Literatura, e ànossa missão: aprofundar o estudo da literatura, a partir da formação de acervos e a constituição de fortunas críticas, sem perder de vista um qualificado ensino da literatura para as novas gerações.
Desejamos que estes Anais sejam mais um tijolo no edifício que estamos construindo para isso.

E desejamos, claro, que tenha uma boa e proveitosa leitura.